Eu, meu pai e outros amores



Resumo escrito por:CyssahOlyver
O amor em todas as suas formas

Jade parecia ter uma vida perfeita. Uma alegre e jovial decoradora de sucesso como mãe, um simpático fotografo americano como padrasto, um melhor amiga para todas as horas, uma bela casa no Leblon, notas boas na escola, ótima dançarina,juventude, beleza e finais de semana preenchidos com passeios ao shopping, baladas, raves e festinhas de pijama... Contudo, no fundo do coração de Jade, havia um espaço vazio que ela insistia em fingir que não existia... A presença de seu pai, o fazendeiro, Bernardo, que após muitas discussões com sua mãe, por incompatibilidade de objetivos, digamos assim, acabou indo morar definitivamente em sua fazenda em uma cidadezinha de Minas chamada Estrela do Campo e se casando com Isolda, que já tinha dois filhos do primeiro casamento, Duke e Fred.

Jade nunca superou a separação, embora seu pai sempre ligasse, de vez em quando a visitasse e nunca lhe deixasse faltar nada. Ela o tratava com frieza achando que ele era o culpado da separação. E os comentários ruins que sua mãe fazia sobre seu pai, também de nada ajudavam para fazê-la superar.

Um dia depois de um trágico acidente de carro, Jade fica 28 dias em coma e perde a mãe e o padrasto. Seu pai, Bernardo fica com sua guarda e mesmo contrariada, vai morar com seu pai na fazenda.

A fazenda é um lugar lindo, a esposa de seu pai é doce e prestativa, há empregados por todas as partes e animais lindos. Jade tem um belo quarto só para ela, é matriculada em uma escola onde será acompanhada pelo filho mais novo da madrasta, Duke, que é descrito como uma espécie de Zac Efron e vem a se tornar o melhor amigo de Jade. Há também o filho mais velho de Isolda, Fred, descrito como Damon da série Vampire Diaries só que mais alto e de cabelos mais claros. Este é sério, quase não interage com Jade.

A adaptação de Jade é bem conturbada, ela é mimada e teimosa, no inicio trata todo mundo mal e se mete em muitas confusões por ser tão desobediente. Ela chega a ser tão "Patricinha" que irrita até o leitor! Há partes engraçadas, como quando ela está conversando com a própria consciência e sobrenaturais quando diz sentir a presença e até ter visto uma vez, seu anjo da guarda Sitael e tem sonhos e sensações que remetem a acontecimentos futuros.

No decorrer da história Jade vai descobrindo outros amores, amores em todas as suas formas que acabam por torná-la uma pessoa melhor...

O interessante deste livro é que os personagens tem emoções bem próximas do real, Fred, por exemplo, não é aquele mocinho romântico que bate a cabeça na rocha gritando o nome da amada, que fala coisas absurdas, do tipo irei morrer sem ter você e adoece mesmo. Não nada disso. Fora isso, a menção a bandas, músicas, livros, filmes, séries e atores como favoritos dos personagens fazem o leitor se ver ainda mais inserido na história. O final desta história não é nada previsível, e os últimos capítulos são bem emocionantes... É, chorei mesmo!

O livro trata de conflitos internos, crenças, amizade, amor e família de forma bem envolvente.

Estes são dois dos meus trechos favoritos:

- E o que é paixão para você, Fred? - quis saber.

- É... é isso, tocar na mão e sentir eletricidade, é respirar sem conseguir aspirar todo o ar, é tremer quando se pensa na pessoa, é pirar de saudade, é querer... bem, querer estar ao lado da pessoa, sentir o corpo flutuar..."

Eu, meu pai e outros amores de Lilian Reis p. 210

"Amores eternos existem sim, e superam qualquer coisa, mesmo quando ninguém mais acredita neles, eles continuam sempre à espreita, esperando apenas um olhar, um retorno, uma reconciliação". Augusto Branco

Eu, meu pai e outros amores de Lilian Reis p. 289

PS: Senti falta de uma descrição mais detalhada da primeira noite de amor de Jade e Fred... rs
Eu, meu pai e outros amores Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/books/romance/2384415-eu-meu-pai-outros-amores/

Nenhum comentário:

Google+ seguidores

Arquivo do blog