descafeinação ele retira a cafeína com bons resultados


Resumo escrito por:CarlosRossi
Café Descafeinado Existem 4 técnicas para a descafeinação, mas nem todas são bem aceitas. Uma delas consiste em mergulhar os grãos em cloreto de metileno, substância capaz de dissolver e extrair a cafeína. O inconveniente é que sempre restam resíduos de cloreto de metileno, nocivos ao organismo, mesmo depois dos grãos serem aquecidos ou varridos com vapor para retirá-lo. Em outra técnica, os grãos são mergulhados em alguns álcoois e éteres, que também são capazes de dissolver a cafeína. Nesse caso, o problema é que esses solventes podem extrair, além da cafeína, outros componentes do café. Na terceira técnica envolvem-se os grãos de café em gás carbônico que está em estado físico chamado supercrítico. O gás fica muito denso, quase líquido. Nesse estado ele retira a cafeína com bons resultados, a não ser pelo alto custo. Por isso, a tecnologia preferida é a que usa partículas do próprio café dissolvidas em água. Essa solução é pobre em cafeína e atrai esse componente dos grãos que se quer descafeinar. Esse processo é chamado de natural.
Café Descafeinado Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/books/1795823-caf%C3%A9-descafeinado/

um café amigo

Resumo escrito por:Lucapajuli
"Café Amigo"
Em criança logo me deparei com uma coisa preta, cheirosa e molhada. Era preciso tomar cuidado com ela, pois podia queimar as mãos, eis que vinha num bule de alumínio, tampado com rolha de cortiça, trazido do fogão à lenha para a mesa da primeira refeição do dia.
Era o café feito em casa, que colocado numa caneca de louça, recebia, quase sempre, o abraço do inimigo, o leite branco, que não só o esfriava, como fazia o preto forte perder a cor e ficar mais parecido com doce de leite, graças também às colheres de açúcar de cana. Para acompanhar a bebida nada melhor do que um pedaço de pão com manteiga caseira feita pela visinha e vendida em pedaços semelhantes às bolas de futebol de salão ou com uma fatia de bolo de fubá quentinho melecado com manteiga salgada.
A coisa mais gostosa de manhã ao levantar da cama era ir até o fogão e sentir o cheiro do café sendo passado no coador de pano, exalando aquele odor peculiar e agradável. Até ouço dizer que o cheiro do café é mais gostoso do que a própria bebida.
Os tempos se passaram e me interessei pelo plantio dessa magnífica planta alienígena, que trazida de fora, seu cultivo deu muito emprego a muita gente, durante muito tempo. Os paulistas se tornaram os maiores produtores de grãos de café. Isso já não mais ocorre, na medida em que a cultura do café foi substituída pela agropecuária e mais recentemente pelo plantio da cana de açúcar incentivado pela produção do alcool combustível. Minas Gerais hoje é líder na lavoura do café, cujo preço tem oscilado muito no mercado mundial, deixando os produtores de cabelo branco.
Numa pequena chácara tenho atualmente algumas centenas de pés de café plantados e produzindo para o gasto familiar. Cuido bem deles, adubando-os e regando na hora certa. Apesar de plantados em região montanhosa não estão sujeitos a geada porque crescem e dão flores brancas debaixo de árvores, a exemplo do que ocorre em outros países, sendo por isso chamados de "café sombreado".
Ainda bem que não vivi aquele período negro do café, que aqui ocorreu logo depois da quebra da Bolsa de Nova York, quando o ditador Vargas mandou queimar todo o café (mais de 700 milhões de sacas!), objetivando com essa atitude demente, que o seu preço fosse incrementado. Mais um absurdo cometido pelo caudilho, dentre tantos outros.
Vargas, depois da ditadura e já no regime democrático, tornou-se candidato à presidência da República, conseguiu se eleger, mas não conseguiu terminar seu governo. Não aguentando às pressões da época, conduzidas principalmente por um jornalista, Carlos Lacerda, pôs termo à vida com um tiro no peito, sendo então substituído por Café Filho, que trazia estampado no nome justamente uma de nossas maiores riquezas.

Essa pequena digressão histórica apenas pretende mostrar que muita coisa ainda se poderia contar sobre o café brasileiro, mas esse não é o objetivo desta pequena crónica.
O que interessa dizer é que o café é nossa bebida do dia a dia. Não de maneira sofisticada como fazem outros povos. Aqui o café é bebido em todas os lares desde o mais pobre ao mais sofisticado. Todos se envolvem com ele diariamente em casa, no trabalho, no lazer. É bebido em copinho plástico que chega a queimar os dedos, em xícaras e canecas de todos os tamanhos, em garrafas de vidro, térmicas ou não, em louça branca de máquinas que expelem fortes, curtos ou meio-curtos os chamados "expressos", com açúcar ou sem, com adoçante, com rala de limão, "carioca", "aguado", com leite, com espuminha, com conhaque ou com pinga no tempo frio, tudo à vontade do freguês, nos bares, botequins, lanchonetes, restaurantes e até na rua ou no futebol com os ambulantes. Para os fumantes tem dupla função: bebe-se café para fumar e fuma-se para beber...
Se o café faz bem ou não ao organismo humano há vasta bibliografia em todas as direções. O que parece ser certo para muitos é que se trata de bebida matinal, que serve para despertar, para raciocinar etc. Ainda hoje os jornais mostram que o café combate a cirrose hepática.
A verdade é uma só: o café quentinho, bem passado, sem açúcar ou adoçante, bebido pela manhã é para mim um verdadeiro manjar dos deuses. Não sei como me comportaria se não pudesse soprá-lo aos poucos e ir, também aos poucos, sorvendo-o em pequenos goles até o fim, para depois de algum tempo voltar a degustá-lo de novo.
Não é a toa que quando se vai à casa ou ao trabalho de alguém o cafezinho funciona como se fosse o "cachimbo da paz" porque essa bebidinha preta de todos os dias é mesmo um "café amigo".


Café Amigo Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/humanities/1674280-caf%C3%A9-amigo/
viciados em café

Resumo escrito por:valba
Ingestão de cafeína é um vício, afirma cientista

Se você acredita que um cappuccino ou um expresso duplo são uma boa maneira de começar o dia, atenção: aquela xícara pode indicar que você sofre de um distúrbio psicológico. De fato, a dependência de cafeína agora é vista como um verdadeiro vício e é provável que a privação da substância seja incluída na próxima edição do Manual de Diagnóstico e Estatística de Distúrbios Mentais dos Estados Unidos. Roland Griffiths, neurocientista da Escola de Medicina Johns Hopkins, em Baltimore, está entre os que recomendam que a dependência da cafeína seja considerada um vício e tratada. Ele publicou recentemente no Journal of Psychopharmacology uma revisão de 70 estudos sobre o efeito da cafeína na saúde e no comportamento e afirma que o problema da dependência da cafeína já ficou tempo demais sem reconhecimento. A cafeína é "a droga de alteração do humor mais consumida no mundo": ela aparece não só no café, mas no chocolate, nos refrigerantes, chá e medicamentos sem receita. "Cerca de 80% dos ocidentais consomem cafeína; portanto, milhões de pessoas poderiam ser dependentes", diz. Os médicos deveriam ter os meios para diagnosticar a dependência, afirma ele, para "fazer o diagnóstico correto de outras condições médicas cujos sintomas se justapõem aos da privação da cafeína.

E alguns pacientes podem precisar ser instruídos a suspender a ingestão de cafeína". Os médicos também "precisam avaliar a dificuldade que alguns têm de cortar a cafeína e estar preparados para oferecer uma alternativa à sua suspensão abrupta". Na Grã-Bretanha, são consumidos 70 milhões de xícaras de café por dia e o britânico toma em média 421 xícaras por ano. Griffiths afirma que apenas 100 mg de cafeína - presentes em meia xícara de café instantâneo - podem levar algumas pessoas à dependência física. Ele sugere que pelo menos 50% dos consumidores regulares de cafeína sofreriam sintomas de abstinência se parassem de ingeri-la, entre eles dor de cabeça, fadiga e sonolência, depressão ou irritabilidade e sinais parecidos com os de gripe ou virose, como náusea e dor muscular, o que poderia levá-los a se afastar vários dias do trabalho.
VICIADO EM CAFE Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/medicine-and-health/1754413-viciado-em-cafe/

O Café e Suas Várias Importâncias

Resumo escrito por:FlordaLua
Sua importância não é só econômica. O café ganhou espaço e hoje é indispensável. Café preto para espantar o sono, frapê de capuccino como sobremesa e café com leite antes de dormir...
Até o século 11, o café era consumido como alimento, com gordura animal. Quem teve a idéia de torrar os grãos de café e fazer deles uma bebida foram os árabes.
Café forte, servido com gelo e leite condensado é a bebida preferida dos tailandeses.
O café ajuda a aliviar a dor de cabeça porque a cafeína causa a constrição dos vasos sanguíneos.
Durante a produção do café, é durante o processo de torrefação que fica determinado se o produto terá um sabor forte ou fraco. E também durante a torrefação do café, acontece a "pirólise", responsável pelo sabor dos grãos. Nesse processo O óleo que está dentro dos grãos (essência do café) "sai", reage sob efeito do calor e faz os grãos estourarem.
A Política do Café-com-Leite foi uma alusão à economia de dois Estados durante a República Velha. Além de serem potenciais produtores de café e de leite, respectivamente, eram as duas potências da federação. Esses estados eram Minas Gerais e São Paulo.
 Sua importância não é só econômica. O café ganhou espaço e hoje é indispensável. Café preto para espantar o sono, frapê de capuccino como sobremesa e café com leite antes de dormir...

 Até o século 11, o café era consumido como alimento, com gordura animal. Quem teve a idéia de torrar os grãos de café e fazer deles uma bebida foram os árabes.
 Café forte, servido com gelo e leite condensado é a bebida preferida dos tailandeses.
 O café ajuda a aliviar a dor de cabeça porque a cafeína causa a constrição dos vasos sanguíneos.
 Durante a produção do café,  é durante o processo de torrefação que fica determinado se o produto terá um sabor forte ou fraco. E também durante a torrefação do café, acontece a "pirólise", responsável pelo sabor dos grãos. Nesse processo O óleo que está dentro dos grãos (essência do café) "sai", reage sob efeito do calor e faz os grãos estourarem. A Política do Café-com-Leite foi uma alusão à economia de dois Estados durante a República Velha. Além de serem potenciais produtores de café e de leite, respectivamente, eram as duas potências da federação. Esses estados eram Minas Gerais e São Paulo.
O Café e Suas Várias Importâncias Originalmente publicado no Shvoong: http://pt.shvoong.com/medicine-and-health/nutrition/1873085-caf%C3%A9-suas-v%C3%A1rias-import%C3%A2ncias/

Nenhum comentário:

Google+ seguidores

Arquivo do blog